Nascentes criativas: arte, inclusão e tecnologia para fortalecimento da cultura rural,
surge nas montanhas das Terras Altas da Mantiqueira, município de Itamonte – MG impulsionado pelo anseio de profissionais criativos deste fértil território em transformar a realidade em que vivem.
Tendo a cultura como ferramenta, a proposta integra diversas linguagens como a música, a cinema, as artes cênicas, o artesanato, e as novas mídias, ofertando a público diversificado ações de resgate das tradições culturais, formação (como: cursos, oficinas e laboratórios criativos), arte, pesquisa e desenvolvimento.

Reconhecimento dos Saberes como um bem econômico, de valor social, cultural e ambiental.

Cause Details

Objetivo geral:
Promover o desenvolvimento artístico e do mercado cultural local e a preservação das expressões culturais mineiras.

Objetivos específicos
– Realizar atividades formativas voltadas a cultura da infância compreendendo oficinas de musicalização, artes visuais, teatro e literatura. (480h)
– Realizar uma expedição cultural ao Parque das Águas de São Lourenço, patrimônio cultural do estado de Minas Gerais, com as crianças. (1)
– Realizar percurso formativo tecnocultural híbrido para o público jovem com concessão de 10 bolsas. (300h)
– Realizar percurso formativo em tecelagem com lã de ovelhas, voltado a mulheres da comunidade com concessão de oito bolsas. (120h)
– Produzir Catálogo Digital com os produtos desenvolvidos pelas Mulheres Rurais da Montanha (1)

– Criação de um coletivo social de software e marketing para apoio digital e cultural a instituições sem fins lucrativos

– Realizar  30  sessões do Cineclube itinerante com filmes nacionais – longas, médias e curta-metragens.
– Promover a manutenção de formação musical continuada do grupo Manticanto com 20 ensaios quinzenais, sendo 10 ensaios abertos, 10 oficinas e 4 apresentações musicais.

Este projeto do Centro Comunitário do Campo Redondo ecoa múltiplas vozes que formam nossa cultura, contemplando ações que dialogam entre si e propiciam singular sinergia entre os fazedores de cultura e os modos de fazer dos povos das montanhas de Minas Gerais.

As novas tecnologias e a globalização têm gerado mudanças profundas no nosso modo de viver. Nos encontramos atualmente “nem lá nem cá”: ao mesmo tempo que vemos a inclusão digital da roça e estamos todos conectados à internet acompanhando os movimentos globais, vivenciamos a nossa exclusão do mercado de trabalho e o desaparecimento das manifestações culturais locais e da produção familiar rural.

A ação Mulheres Rurais da Montanha visa preservar a cultura da lã em Itamonte, impulsionando a geração de trabalho e renda e promovendo a autonomia econômica dessas mulheres.
A ação  CÓDIGO JEDAI visa engajar a juventude que vem sendo atraída para a tecnologia de forma recreativa numa formação de empreendedores digitais para o mercado cultural e criativo, ensinando-os sobre marketing digital/cultural e programação web, estimulando-os, assim, a produzir e apropriar-se de conhecimentos científicos e tecnológicos.
Já o programa Brincar promove oficinas lúdicas para crianças da roça, visando valorizar a sustentabilidade e as tradições locais e estimular a socialização e a cooperação entre elas.
Realizar ações culturais gratuitas no interior do estado visa promover a interiorização e democratização do acesso aos bens e serviços culturais; contribuir para facilitar a todos os meios para o livre acesso às fontes da cultura e o pleno exercício dos direitos culturais, suprindo a escassa oferta de formação artístico cultural no município.
O cineclube Cinema na Montanha e o MantiCanto caminham ora juntos, ora paralelos, nas trilhas do cinema e da música, levando ao interior, gratuitamente e aberta a todos os públicos, apresentações de filmes e do grupo vocal e seu repertório musical. Como em inúmeras cidades pequenas, e até mesmo grandes, verificou-se o desaparecimento de salas de cinema, Itamonte perdeu, há décadas, sua única sala no centro da cidade, reduzindo drasticamente a oportunidade de fruição da sétima arte.

Ao contratar equipe técnica e prestadores de serviços da própria cidade e região dos segmentos da música, artes cênicas, artes visuais, artesanato e novas linguagens digitais, expressivos propulsores da economia criativa, propicia-se que os recursos captados impactem na economia local, gerando emprego e renda, de modo a estimular a regionalização da produção cultural e artística mineira, com a valorização de recursos humanos e conteúdos locais e regionais; além de valorizar e difundir o conjunto das manifestações culturais e seus respectivos criadores.

O Centro Comunitário Rural do Campo Redondo, desde sua criação, tem o compromisso do desenvolvimento saudável da comunidade, a quem oferece apoio nas áreas de educação, saúde e cultura, ajudando a estabelecer vínculos fortes entre seus habitantes e seu entorno e, portanto, colaborando para o fortalecimento da cultura e identidade, elementos essenciais para o melhor exercício da cidadania.

MAIORES DETALHES DE CADA PROJETO:

*O Brincar terá a execução de suas atividades realizadas num período de dez meses, sendo três encontros semanais de 4h cada. O programa oferece oficinas de arte: teatro, musicalização, literatura e artes visuais e brincadeiras diversas, cada uma com carga horária total de 120h. Será oferecida alimentação durante o período das atividades, adquiridos utensílios e insumos, contratadas duas monitoras e uma assistente de produção (cozinheira). Serão providenciados os materiais necessários às oficinas e realizada uma expedição cultural promovendo a educação patrimonial ao Parque das Águas de São Lourenço.

A Oficina Arte do brincar com as Histórias, propõe a recriação da prática de se contar e ouvir histórias. Estimula o gosto pela literatura e leitura, utiliza a prática da narração como instrumento de educação e ensino. Trabalha a expressão, o corpo e a voz e estimula a pesquisa de fontes orais de transmissão de histórias e conhecimento. A Oficina oferece suporte técnico a partir das referências teóricas, bibliográficas e vivenciais através de atividades de criação, improvisação e memorização.

A Oficina de Teatro se dará través de jogos e atividades que buscam desenvolver a expressividade da criança, estimular o desenvolvimento da capacidade criativa e o potencial artístico, exercitar a expressão vocal e corporal, desinibir, iniciar o estudo teórico e prático dos elementos teatrais e do universo que envolve a construção cênica.

A Oficina de Musicalização será uma vivência e exploração prática, precedendo a introdução teórica dos conceitos musicais com atividades lúdicas utilizando instrumentos pedagógicos como fantoches, tecidos, brinquedos pedagógicos, desenvolvendo a musicalidade, sensibilidade, percepção auditiva, psicomotricidade, senso rítmico, percepção espacial, temporal e sociabilidade, além de estimular a criatividade e o raciocínio infantil. Conjunto de atividades que visam à sensibilização e propõem ampliar os conhecimentos do universo musical através da vivência musical com brincadeiras, jogos musicais, construção de instrumentos e brinquedos sonoros com materiais de sucata.

A oficina de Artes Visuais propõe a pesquisa de materiais da natureza para a produção de tintas e ferramentas como “pincéis” para pintar. Cada participante pode explorar materiais para produzir tintas usando pigmentos naturais como açafrão, urucum, pigmentos de flores. Criação individual e coletiva de peças usando esses materiais. Técnicas e exercícios de desenho de figuras e paisagens.

A Oficina de Dança Livre se propõe a desenvolver o autoconhecimento das crianças através da inteligência corporal, explorando suas habilidades de movimento e possibilidades expressivas. Com jogos lúdicos e exercícios que trabalham a coordenação motora, consciência corporal, ritmo e expressão de emoções, as crianças aprendem a girar, saltar, cair, se deslocar no espaço, a trabalhar a linguagem das mãos e criar danças próprias.

*O Código Jedai é uma ação para formar jovens empreendedores que busca contribuir para a inserção deles no mercado de trabalho, a elevação da qualidade dos serviços prestados à sociedade, instrumentalizando-os em Marketing digital/cultural e Programador Web aptos a trabalhar com as especificidades do mercado cultural e criativo através de um processo de apropriação e de produção de conhecimentos científicos e tecnológicos, capaz de contribuir com a formação humana integral, articulado aos processos de democratização e justiça social. Os formandos estarão aptos e dominarão todos conteúdos necessários para atuar nas novas mídias em pontos de cultura, ONGs e projetos culturais. Um dos propósitos é os formandos se unirem no fim do curso para criarem uma Incubadora/Agência de arte digital que dê suporte e potencialize outras ONGs e projetos locais na área da comunicação e tecnologia, como criação de sites, apps, marketing digital, redes sociais e design gráfico e, assim, movimentar as cadeias produtivas da Economia Criativa.

O Jedai é uma ação online de dez meses que formará 16 jovens empreendedores digitais e culturais. Os participantes aprendem sobre programação, marketing, inteligência artificial, design gráfico e empreendedorismo cultural, com o apoio de coordenadores e especialistas.

Serão 2 Turmas com temas diferentes – Aulas 1x por semana por 3h via zoom com acompanhamento em tempo real.

O programa utiliza uma plataforma educacional online com cursos, provas, desafios e acompanhamento personalizado. O percurso formativo tem carga total de 300h durante o período de dez meses, cada turma. Conta com acesso adicional a uma biblioteca de vídeos profissionalizantes EAD como material de apoio pedagógico.

*O Mulheres Rurais da Montanha se propõe a manter vivo o patrimônio imaterial do bairro rural do Campo Redondo e adjacentes da cidade de Itamonte, MG por meio do resgate da produção de lã na região.

Será realizado percurso formativo com 120h aula com ministrantes a serem definidos, para o aperfeiçoamento de técnicas e desenvolvimento de produtos e, ao final, a criação de um catálogo digital com a coleção produzida.

Ao longo das 120 horas deste curso, as alunas vão conhecer a história do artesanato em lã, trabalhar diretamente com a matéria-prima, desde o seu preparo, passando por processos de classificação, lavagem, secagem, cardagem, tingimento e tecelagem. Por fim, o curso abordará a confecção das peças artesanais diversas. Todos os participantes recebem, ao final, informações sobre os aspectos relativos à comercialização dos produtos, para que o aprendizado transforme-se em alternativa de geração de renda para a família.

Serão contratadas coordenadora e monitora e, na primeira etapa do programa, iremos realizar o reparo dos antigos instrumentos usados na produção de lã: teares, rocas e cardas que ainda estão em boas condições; e a aquisição de novas ferramentas instrucionais.
Está prevista a aquisição de material instrucional a saber: lã crua (suja), materiais de limpeza, fixadores para corantes naturais, armarinho e serão contratados os serviços para a limpeza, desfiagem e cardagem do material a ser utilizado nas oficinas.
As atividades serão realizadas em espaço locado para este fim com a estrutura necessária às ações de capacitação, laboratório de criação e showroom. Serão ofertadas oito bolsas de qualificação, pesquisa e criação. Serão custeadas as despesas de logística de ministrantes (transporte, hospedagem e alimentações).

*O grupo vocal MantiCanto foi formado no Coletivo de Cultura Casarão em Itamonte, MG, a partir de oficinas de canto, em maio de 2017, ministradas pelo Maestro Alain Pierre, com vasta experiência em Regência Coral. Desde então, o grupo vocal se apresenta em eventos culturais e promove oficinas de canto na região de Itamonte, MG. A ação visa preservar o grupo, ampliar suas atividades e democratizar o canto coletivo. O repertório do MantiCanto é composto por MPB, com canções que ampliam a visão do mundo social e político. As oficinas de canto em grupo supõem a construção de um repertório variado, baseado em arranjos vocais polifônicos e harmônicos principalmente para músicas populares brasileiras. Este repertório poderá ser ampliado, acrescentando-se músicas estrangeiras e de diversas épocas conforme a necessidade e interesse. O programa será organizado progressivamente baseado nas necessidades, facilidades e dificuldades do grupo no trato do assunto musical proposto. As atividade de ensaio serão dirigidas pelo regente com ajuda de um monitor visando o desenvolvimento técnico-vocal e rítmico do grupo através da aplicação de: vocalizes, atividades de consciência corporal e postural, exercícios de respiração, exercícios específicos de técnica vocal, prática de interpretação musical, exercícios rítmicos e exercícios de memorização.

Promover a manutenção de formação musical continuada do grupo Manticanto com ensaios quinzenais (20), sendo 10 ensaios abertos e 10 oficinas e 4 apresentações musicais.

O Cineclube surge como uma interessante alternativa de aproximar novamente a população do cinema e formar público. O município possui uma extensa área rural, a maior da região de sul de Minas, e sua população tem pouco acesso a produções nacionais, pois falta divulgação e atividades que as promovam como alternativa às visualizações em streaming de filmes comerciais, em geral alienantes e apresentando realidades muito diversas a vivida na roça, além de pouco reflexivos e/ou críticos. A proposta do Cineclube é, justamente, suprir essa lacuna, promovendo fitas de curta, média e longa metragens nacionais, de diversos gêneros, com temas significativos para a comunidade, e, a partir das emoções e situações despertadas pela magia do cinema, acolhê-las em um debate lúdico e cuidadoso, até mesmo educativo, sobre meio ambiente e seus impactos no presente e no futuro, apostando na preservação, eficiência energética, reciclagem, saneamento, entre outros; sobre relações sociais, como, por exemplo, as mudanças no mundo do trabalho e no binômio patrão e empregado; também relações pessoais e familiares, desvelando situações de violência doméstica naturalizadas; assim como preconceitos e desconhecimentos sobre as diversas formas de existência e expressão de identidade como nos movimentos lgbtqia+, antirracista e feminista. A seleção de filmes e suas temáticas terá como base o interesse e o bem-estar das comunidades.

Serão 40 sessões ao longo de dez meses, 4 sessões por mês. Se darão no Centro da cidade de Itamonte, em parceria com o Coletivo de Cultura Casarão, nos bairros rurais do Campo Redondo e Sobradinho (em parceria com a Casa Coruja Lab), podendo se deslocar para Caxambu ou outra cidade próxima, ainda na Serra da Mantiqueira. A seleção dos títulos será feita a partir da contratação da equipe.

 

——————————————————————————————————————

Ficha Técnica

Direção Geral:         Centro Comunitário Rural do Campo Redondo

                                 Romario Fonseca

Produção Executiva: Patricia Rodrigues

Coordenação Geral:
                                  Acauã Rodrigues – JEDAI

                                 Joana Caetano  – Cinema na Montanha

                                  Lívia Moura – Mulheres Rurais da Montanha

                                  Rita de Cássia Fonseca – Brincar

                                  Regina Vassimon – Manticanto

Coordenação pedagógica: Flávia Fonseca Conquista

Mentoria Mulheres Rurais da Montanha – Hélène Arthur

Assessoria Contábil – Caio Mendes – CCM Assessoria e Gestão Empresarial

Assessoria Jurídica – Vinícius Romanelli Mota

Assessoria em Gestão Cultural – Patricia Rodrigues
                                                           Acauã Rodrigues

                                                          Joana Caetano

                                                          

Assessoria de Comunicação/Imprensa – Renata Rosas/Joana Carvalho – Fair Play Comunicação

Gestão de Mkt Digital – Átila Naddeo / Olivia Babêtto – Canela de Ema

Designer – Gandhi Aires

Programador/Web Designer – Acauã Rodrigues

Produção Audiovisual – Jorge Tupamaro

Produção de Conteúdo –  Acauã Rodrigues 

                                         Joana Caetano  

                                         Livia Moura  

                                         Rita de Cássia Fonseca

                                         Regina Vassimon

Palestrante I Kirianne Mieko da Fonseca Miasaki

Assistente de produção Cinema na Montanha – Gabriela Fonseca 

Arte educador I – Cleberton Nunes da Cunha

Arte educadora II – Maria Emília de Almeida Breyer 

Arte educadora III – Luciene Maria Fonseca 

Arte educadora IV – Joana Moesia Caetano 

Arte educadora V – Lívia Barroso de Moura
Arte educadora VI – Maria Noujaim

Cozinheira – Anaise Natália Fonseca

Monitora I – Miria Maria Fonseca 

Monitora II – Debora Cristina Fonseca 

Monitora III – Elma Fonseca 

Monitora IV – Joice Fonseca Batista 

Monitora jardineira – Vanessa Maria Fonseca 

O Projeto Nascentes Criativas é uma realização do Centro Comunitário Rural do Campo Redondo e Ministério da Cultura, com patrocínio da Valgroup por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura e apoio das Prefeituras de Itamonte, de Passa Quatro e do Ponto de Cultura VAV. 

Envie seu comentário

Outros Projetos
PEV – Coleta de Lixo reciclável
PEV – Coleta de Lixo reciclável
0% Arrecadados de R$ 37.500
Dança no Campo
Dança no Campo
27% Arrecadado de R$ 60.000
Nascentes Criativas
Nascentes Criativas
14% apoiados de R$ 1.226.657
Código Jedai
JEDAI
0% Alcançado de R$164.000
Projeto Brincar
Projeto Brincar
18% Alcançado de: R$380.000
Coral Manticanto
Coral Manticanto
0% recebido de R$ 192.000
Mulheres Rurais da Montanha
Cooperativa da Lã
23% Recebidos de R$270,000
Cinema na Montanha
Cinema na Montanha
11% Arrecadado de R$ 200.000